top of page
  • Foto do escritorEdgard Gonçalves Cardoso

Emancipação intelectual e avaliações e intervenções em contexto de formação



A emancipação intelectual pode ser definida como um processo educativo, dentro de ensino e aprendizagem, como resultado de uma ou mais ações dos portadores da denominada consciência crítica, conhecedores de conceitos científicos e filosóficos que envolvem a sociedade, capaz de libertar o povo de uma suposta ignorância ou ausência de consciência histórica.

As avaliações nesse contexto, precisam ser capazes de entender a situação daquele que aprende, desafiá-lo de modo justo e dar retorno do desempenho dele, permitindo oportunidades de desenvolvimentos de suas competências ao longo do processo de ensino e aprendizagem.

As intervenções devem ser realizadas principalmente quando o desempenho daquele que se dispôs a aprender não apresenta a aprendizagem esperada em determinado momento. Todavia, as intervenções não devem se limitar apenas ao que não apresenta desempenho abaixo do esperado, mas também aquele que o supera, de modo que novas possibilidade e novos desafios possam ser proporcionados, elevando ainda mais a capacidade cognitiva dele e, por conseguinte, proporcionando cada vez mais emancipação intelectual.

Assim, proporcionar autonomia do pensamento é libertar quem aprende, é dar autonomia, avaliando de modo justo e intervindo sempre que o processo de ensino e aprendizagem foge da normalidade.

REFERÊNCIAS

RANCIÈRE, J. Uma aventura intelectual. In: _______. O mestre ignorante: cinco lições sobre a emancipação intelectual. Trad. Lílian do Valle. Belo Horizonte: Autêntica, 2002, p. 17-38.

RANCIÈRE, Jacques. De que se Trata la Emancipacion Intelectual? (Discurso). San Martín: Universidade Nacional de San Martín, out. 2012a. Disponível em: <Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4Y_KwkAnjac >. Acesso em: 20 de Julho de 2022.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page